3 de out de 2012

Temos tempo...

será que temos? eu não sei o futuro, não consigo adivinhar o que aí vem, portanto quando me dizem "temos tempo" engulo em seco e penso que se calhar a pessoa que afirma temos tempo é provavelmente alguém com uma extraordinária capacidade de adivinhar o tempo que nós ainda dispomos. gostava de ao ouvir isso o "temos tempo" de me sentir mais calmo, mais relaxado, de conseguir esquecer o que naquele momento me perturba e pensar realmente que temos tempo, que mais cedo ou mais tarde tempo vai chegar e resolver o que há para resolver.

"temos tempo", mas como é que sabem? leram isso nalguma revista? sabem de algo que eu não sei? têm acesso à linha temporal de cada um de nós e podem afirmar categoricamente que sim, temos tempo? temos tempo para quê? para aproveitar mais umas horas? para viver na dúvida até ao momento que todas as dúvidas se dissipam?

e o que significa "temos tempo"? que amanhã o que hoje não é resolvido, será feito porque o tempo que tínhamos já chegou? que simplesmente é uma forma de adiar algo que não queremos fazer e assim damos alguma esperança à pessoa que não quer perder mais tempo? então e se antes do "temos tempo" algo acontece? se falha, uma pessoa, uma frase, uma vida? então aí continuamos a ter tempo ou vamos arrepender-mo-nos de pensar que afinal tínhamos tempo a menos do que aquilo que pensávamos?

"temos tempo" é o mesmo que dizer, isso depois vê-se, um dia destes, quando alguém se lembrar, se isso não cair no esquecimento...temos tempo, não precisamos de decidir nada agora, vamos ver como corre...não sei o tempo que tenho. Só estou cá esta vez, não existem segundas hipóteses, nem duas ou três vidas, isto não é um jogo de computador em que podemos fazer um restar, ou um resume no último checkpoint, não existem níveis nos quais sabemos se faltam muitos ou poucos para chegarmos ao destino final seja ele qual for. não "temos tempo", porque não sabemos quanto tempo mais teremos, não há nenhum relógio em contagem decrescente pelo qual nos seja possível guiar e controlar melhor o tempo que dispomos, não temos nada disso.

"temos tempo", não temos não, porque o que sabemos é o agora, o presente, o hoje...depois disso não temos mais nada...

4 comentários:

Me disse...

Ou talvez seja uma tentativa de dar tempo para bem se pensarem e fazerem as coisas? Também há essa hipótese...

A. disse...

Ou talvez seja uma tentativa de não querer assumir um compromisso e esperar que não se tenha de tomar uma decisão?

Odeio reticências... :)

Me disse...

Hmmm... (adoro reticências...)
Quando não se quer assumir um compromisso, não se assume e pronto. Reiterar a decisão é sinal de cobardia e, de certo modo, desmascara a verdadeira intenção (pronto... ).
Mas, por outro lado, há decisões que necessitam de tempo para serem tomadas... (já te disse que adoro reticências? Não? Adoro reticências...!!!!)
É a coisa gira das decisões: tanto se tomam por acção, como por inacção... (adoro, porra!)

A. disse...

Pois que eu odeio reticências, são vazias e deixam sempre muito por dizer, não gosto dessa "sensação"...sou mais a favor do "!"

Quem diz temos tempo, não é propriamente alguém que quer fugir ao compromisso, apenas quer adiá-lo por tempo indeterminado! (muito melhor que reticências!)

Quase todas as decisões, precisam de ponderação! (Facto! Se tivesse colocado reticências, soaria a algo do género "já deverias de saber isso...") Mas isso não dá o direito de a pessoa dizer "temos tempo", porque acaba por não ser nem água, nem peixe!!!! (até dá logo outra força à frase, ahhh tão bom!!)

Coloca a outra pessoa num limbo, em que não percebe muito bem quanto tempo é o "temos tempo" e isso acaba por ser injusto para quem é aconselhado a esperar! (aqui encaixa mais uma vez na perfeição !!!!!)

FUI!!