17 de out de 2012

Ele

Então ele afastou-se, porque achou que era o que devia de fazer. É o que ele faz, sempre que não se enquadra nalgum evento, num grupo, num local, com uma pessoa. Uma defesa. Para ele a única forma de defesa é essa, afastar-se. Tentar respirar melhor à medida que os seus passos vão alargando até correr depressa para bem longe. Ele afasta-se o mais depressa que pode, não gosta de dar nas vistas, não gosta de ser notado, não quer nada disso. Só quer o seu canto, o seu refúgio e quando sente que as coisas não são bem como ele esperava é para lá que ele vai.

Onde não há nada que o possa importunar, a não ser ele próprio. Não consegue perceber se é falta de coragem, se medo, se...sabe lá ele...não quer pressionar, não quer influenciar, não quer nada. Se calhar o problema é esse, ele chegar a um ponto em que percebe que afinal não quer nada. Apenas sente que o afastar o vai fazer sentir melhor, vai conseguir abstrair-se do que não quis enfrentar. Mas ele também sabe que não adianta fugir dos problemas, que enquanto os mesmos não forem resolvidos e esclarecidos seja de que forma for, vão persegui-lo como uma raposa persegue a sua presa, sem cessar, sem olhar a meios, sem o mínimo esgar de perdão nos olhos, implacável.
Isso não vai ajudar a sobreviver e a ultrapassar os seus problemas, mas ele afasta-se na mesma, não quer saber...já está mais longe agora, mas continuar sem conseguir respirar melhor, continuar a sentir uma sensação de desconforto que cresce sem parar no seu peito, não percebe, não faz ideia de como fazê-la desaparecer..."fecha os olhos, respira fundo, calma, devagar, respira, calma, tu consegues."
Abre os olhos, percebe que está de facto bem mais longe do que fugia, não se sente melhor nem pior, sente-se como quase sempre se sentiu durante a sua vida, vazio...o aperto no peito continua.

2 comentários:

Mam'Zelle Moustache disse...

Olha, aqui a Mam'Zelle é bem parecida com esse "ele", com as suas nuances, claro está.
A pior "raposa", para mim, é a consciência. Como disse hoje, a consciência das coisas é que é tramada e me lixa profundamente...

A. disse...

Para quem a tem a consciência é de facto mesmo muito tramada...